Buscar

Você é responsável pelo que entendem



Imagine a cena. No meio de uma guerra, os líderes se entendem e decidem cessar as investidas. Aos chefes dos exércitos, eles gritam: "não, parem os ataques". Na confusão da linha de frente, a vírgula se perde. Entendendo "não parem os ataques", os soldados seguem em frente, ainda mais agressivos. A guerra, que deveria ter tido fim, se torna mais letal. Esse é um dos perigos de uma comunicação falha, de uma mensagem que não chega de forma correta. Isso acontece todos os dias, por todo o Brasil, com milhões de pessoas: os surdos.


Dez milhões. Esse é o número de deficientes auditivos no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Organização Mundial da Saúde acredita que cerca de 466 milhões sofrem com problemas auditivos em todo o mundo. Desses, 34 milhões são crianças e podem crescer em um mundo repleto de barreiras que vão comprometer o desenvolvimento delas como cidadãos.


Quando não nos comunicamos com pessoas surdas, sequer permitimos que a mensagem saia do emissor em direção ao receptor. E é com a capacidade de dialogar que podemos aprender, trocar ideias, intercambiar pensamentos e construir pontes. Foi assim que avançamos ao longo da nossa evolução como pessoas.


É por isso que o velho ditado “sou responsável pelo que falo, não pelo que você entende” está, a cada dia que passa, mais ultrapassado. Comunicar é interagir, é sobre se fazer entender, é conectar-se a outros indivíduos. A todos os indivíduos. Com todas as evoluções da sociedade, já não é admissível a exclusão, a falta de acessibilidade, a manutenção de uma barreira de silêncios. São milhões de homens e mulheres, de crianças e idosos, de jovens e adultos que merecem e têm o direito de receber a mensagem.


Nós somos responsáveis pelo que os outros entendem. E para que todos entendam, é preciso usar artifícios e ferramentas de diálogo com quem não consegue receber a mensagem da forma tradicional - por meio da fala. A janela de Libras é meio para o fim. É o conectivo entre emissor e receptor. É a própria janela que se abre para um imenso público surdo. É igualar a frequência. É uma questão de respeito.


 

Luis Debiasi | CEO LIBRAS-SE

tradução de vídeos para Libras em 24h

www.libras-se.com

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo